ambiente envolve tudo

Loading...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

poluição do solo


A poluição do solo consiste numa das formas de poluição,que afeta particularmentea camada superficial da crosta terrestre,causando maléficos diretos ou indiretos à vida humana,à natureza e ao meio ambiente em geral.consciste na presença indevida,no solo, de elementos quimicos estranhos,de origem humana,que prejudiquem as formas de vida e seu desenvolvimento regular.

A poluição do solo pode ser de duas origens:urbana e agricola.


Poluição de origem urbana

Nas áreas urbanas o lixo jogado sobre a superfície, sem o devido tratamento, são uma das principais causas dessa poluição. A presença humana, lançando detritos e substâncias químicas, como os derivados do petróleo, constitui-se num dos problemas ambientais que necessitam de atenção das autoridades públicas e da sociedade.


Poluição de origem agrícola


A contaminação do solo, nas áreas rurais, dá-se sobretudo pelo uso indevido de agrotóxicos, técnicas arcaicas de produção (a exemplo do subproduto da cana-de-açúcar, o vinhoto; dos curtumes e a criação de porcos).

POLUIÇÃO: O HOMEM É O GRANDE VILÃO

Veja só que coisa triste: o homem é o único ser vivo que destrói o ambiente em que vive. Nenhum outro habitante do planeta polui o ar, contamina a água, devasta florestas...

As cidades são os centros de trabalho e moradia da maioria das pessoas do mundo. Algumas chegam a ter milhões de habitantes! Para abastecer e abrigar esse mundão de gente, consumimos energia, exploramos muitos recursos naturais e produzimos um montão de lixo.

É aí que mora o problema. A ação do homem é perigosa pois é feita em grandes proporções. A fumaça das indústrias, das queimadas e dos carros das grandes cidades enchem o céu de gases tóxicos. Os esgotos não-tratados e o lixo produzido por indústrias e por milhões de pessoas contaminam a água e o solo.

Água e Ar no Solo
A água é o meio de transporte para os nutrientes básicos para as plantas. Normalmente, devido ao reduzido tamanho das partículas de solo e à presença de poros e capilares, a fase aquática não é totalmente independente da matéria sólida.

Um dos mais importantes efeitos químicos do solo saturado de água é a redução de pE pela ação de agentes orgânicos redutores atuando a traves de catalisadores bacterianos. Assim, a condição redox do solo se torna muito redutora e o pE do solo pode cair daquele valor de água em equilíbrio com o ar (+13,6 a pH 7) até 1 ou menos. Um dos mais significativos resultados desta mudança é a transformação de ferro e manganês em ferro (II) e manganês (II) solúveis devido à redução dos seus óxidos superiores insolúveis.

Alguns íons metálicos como Fe2+ e Mn2+ são tóxicos quando presentes em altas concentrações. Apenas 35% do volume do solo é composto por poros cheios de ar. Embora a atmosfera contenha 21% de oxigênio molecular e 0,03% de CO2, estas porcentagens podem ser diferentes no ar dentro do solo devido à decomposição da matéria orgânica.

Este processo consome O2 e produz CO2. Como resultado, a concentração de oxigênio no ar do solo pode cair até 15% e o valor da concentração de CO2 pode aumentar vários pontos percentuais. Assim, o decaimento da matéria orgânica no solo aumenta o nível de equilíbrio do CO2 nas águas subterrâneas. Isto abaixa o pH e contribui para a decomposição de minerais de carbono, particularmente carbonato de cálcio.

Os Componentes Inorgânicos do Solo.- O desgaste de rochas e minerais para formar os componentes inorgânicos do solo resulta na formação de colóides inorgânicos. Estes colóides repõem água e nutrientes para as plantas. Os colóides inorgânicos do solo adsorvem substancias tóxicas no solo detoxificando sustâncias que poderiam afetar às plantas.

A retirada de nutrientes pelas raízes das plantas envolve interações complexas entre água e as fases inorgânicas. Por exemplo, um nutriente contido em matéria coloidal inorgânica tem de atravessar a interface mineral/água e depois a interfase água/raiz.

Os constituintes minerais mas comuns do solo são quartzo finamente dividido (SiO2), ortoclase (KAlSi3O8), albinita (Fe3O4), carbonatos de cálcio e magnésio e óxidos de manganês e de titânio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário